sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Extra extra - mídia senegal

Rádio e suas diversas facetas. Em wolof se passam várias entrevistas, à cada frase o interlocutor responde "humrum", "hurum". Um pouco antes da reza allilahilalahi, tem aula de chinês pela 102,9fm. No mesmo momento a radio france-senegal discute de assuntos diversos (a última vez era sobre os maus tratos dentro dos hospitais), notícias do mundo e diz sempre a hora da França e a hora GMT (o nosso fuso daqui). Zapeando encontro um programa de músicas em português, até agora já foi uma da Guiné-Bissau, uma de Angola e uma de Cabo Verde - sempre bem dançantes e às vezes com o tecladinho com percusão ao fundo - tipo tecno brega paraense. E a última foi "ai, ai amor, é somente ela que me satisfaz"... qualquer similaridade é mera coincidência visto o sotaque é africano de Portugal.

TV e suas novas. Esses dias fomos parar em pequenos restaurantes com tv, e, claro, passamos a refeição completamente hipnotizadas pelo poder das ondas. Pra começar vieram os clips religiosos, o primeiro durou mais de 10 minutos com imagens da mesquita cidade mais religiosa - Touba - e dos cantores, homens com suas túnicas coloridas até os pés que se movimentam muito levemente sentados na praia. Todos eles repetem a mesma frase initerruptamente durante o tempo todo. No jornal uma notícia passa rapidamente dizendo que uma indústria farmacêutica inglesa faz testes de um gel anti-AIDS em mulheres africanas que são pagas para ver a eficácia dessa nova proeza farmacêutica. E como a fórmula não está bem desenvolvida ainda, fez mais de 50 mulheres contraírem AIDS, e ainda mais todas outras tantas que participaram das pesquisas que devem também ter contraído. O jornal faz uma entrevista com a farmacêutica responsável que de dentro do seu confortável escritório em Londres diz que isso não tem problema algum, já que essas mulheres seriam inevitavelmente infectadas devido ao ambiente em que vivem. Não me convenceu, Doutora...

A praia que faltou da outra vez, uma parte boa de se mostrar, à direita o Oceano Atlântico e à esquerda a foz do Rio Senegal:

A parte ruim de se contar, é a quantidade incrível de lixo que tem...

2 comentários:

  1. Oi querida
    Nunca pensei ter 1 filha escritora. Parabens pelo seu jeito charmoso de relatar eventos. Parece 1 colunista em sua crônica dominical.

    Sinto-me feliz em ver vc feliz em Saint Louis
    Que Alah te proteja, q Deus te abênçoe.Bjs
    Cida Bambirra

    ResponderExcluir
  2. Oi Cláudia,
    Também estou adorando seus relatos! Você está muito à vontade por aí né?
    Um abração pra você!
    Adriana

    ResponderExcluir