domingo, 24 de janeiro de 2010

Como chegar















pára um pouquinho, descansa um pouquinho...

Paris, depois de 48h tentando cruzar o altântico entre escalas, praia, almoço com peixe e novos amigos cariocas, 5h dentro do avião quebrado, um verdadeiro Big Brother Air France, com direito a hotel com piscina e excelentes companhias dos viajantes.

Apesar do delicioso glamour parisiense, não se engane com essa megalópole que nos engole. Foram cinco dias com gostinho de um. Rápido no metrô, tempo escasso e muita coisa a fazer, a vantagem é que na mistura de prazeres e afazeres aqui sempre descobre lugares belos. E como são mineiros esses parisienses, os queridos sempre acolhedores, a cozinha é n. 1 no ranking melhores lugares da morada e na rua quem ganha são os butecos (olalá, não me matem mudar o nome dos fofos e diversos cafès e brasseries, pensem em sentir o espírito).

Balanço: cinco torres Eiffel por 1 euro (todas) porque os brasileiros são ótimos. Quem vai querer uma?


Passando por Casablanca, uma latinha de coca-cola em árabe e olhar por alguns instantes o Marrocos, ex-colônia francesa (o brasileiro que aprendeu isso na escola põe o dedo aqui).

Na revista francesa "Jeune Afrique" (jovem africa) em comemoração aos 50 anos de independência de 14 países que foram colônias francesas na África (incluindo Senegal), eles questionam o que os dirigentes fizeram com seus 50 anos de "liberdade"... e dizem que não foi nada. Melhor ser livre e na merda ou vendido e infantilizado com proteção?

Chegar no Senegal dá um gostinho de voltar pro Brasil, saimos da opulência e voltamos ao mundo das coisas a fazer. Não há muito mais a falar, ainda no hotel vivendo no pequeno mundo virtual. Mas, voilá a primeira impressão: me disseram que o Senegal tem um cheiro específico de um perfume muito usado, eu pensei, hum...será? É tudo verdade! Até agora o país parece que foi borrifado com esse cheiro macio e doce - ainda descubro o que é. E também um cheiro intenso de mar, de aeroporto colado no oceano.

2 comentários:

  1. Essa gente que numa escala de vôo intercontinental acha de arrumar tempo pra um mergulho na Praia de Ipanema não pode, é claro, fazer a viagem mais normal mermo, não.
    Mas se chegou tá ÓTEMO!

    Beijo grande e tudo de bom e de muito melhor por esse mundão afora.

    ResponderExcluir
  2. Ah, mas o mergulho em Ipanema foi um sucesso com a sombrinha lilás! o mais legal foi secar o biquini no aquecedor de Paris gelada :)

    ResponderExcluir