domingo, 31 de janeiro de 2010


Alhamdoulilahi (obrigada deus)! Ta escrito em todos os carros rápidos, esse é o ônibus daqui, o outro tipo de "onibus"é o taxi amarelo e preto (e chama assim mesmo (taxi noir et jaune) que tá em segundo plano nas duas fotos. Peguei uma vez. E o povo reclama do transporte público de BH...

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

RELIGIÃO É VIDA, CLIQUE NA IMAGEM PRA LER


CLICANDO NA IMAGEM VC CONSEGUE LER (eu escrevi no word e no blog não aceita ctrl+c ctrl+V).

domingo, 24 de janeiro de 2010

Como chegar















pára um pouquinho, descansa um pouquinho...

Paris, depois de 48h tentando cruzar o altântico entre escalas, praia, almoço com peixe e novos amigos cariocas, 5h dentro do avião quebrado, um verdadeiro Big Brother Air France, com direito a hotel com piscina e excelentes companhias dos viajantes.

Apesar do delicioso glamour parisiense, não se engane com essa megalópole que nos engole. Foram cinco dias com gostinho de um. Rápido no metrô, tempo escasso e muita coisa a fazer, a vantagem é que na mistura de prazeres e afazeres aqui sempre descobre lugares belos. E como são mineiros esses parisienses, os queridos sempre acolhedores, a cozinha é n. 1 no ranking melhores lugares da morada e na rua quem ganha são os butecos (olalá, não me matem mudar o nome dos fofos e diversos cafès e brasseries, pensem em sentir o espírito).

Balanço: cinco torres Eiffel por 1 euro (todas) porque os brasileiros são ótimos. Quem vai querer uma?


Passando por Casablanca, uma latinha de coca-cola em árabe e olhar por alguns instantes o Marrocos, ex-colônia francesa (o brasileiro que aprendeu isso na escola põe o dedo aqui).

Na revista francesa "Jeune Afrique" (jovem africa) em comemoração aos 50 anos de independência de 14 países que foram colônias francesas na África (incluindo Senegal), eles questionam o que os dirigentes fizeram com seus 50 anos de "liberdade"... e dizem que não foi nada. Melhor ser livre e na merda ou vendido e infantilizado com proteção?

Chegar no Senegal dá um gostinho de voltar pro Brasil, saimos da opulência e voltamos ao mundo das coisas a fazer. Não há muito mais a falar, ainda no hotel vivendo no pequeno mundo virtual. Mas, voilá a primeira impressão: me disseram que o Senegal tem um cheiro específico de um perfume muito usado, eu pensei, hum...será? É tudo verdade! Até agora o país parece que foi borrifado com esse cheiro macio e doce - ainda descubro o que é. E também um cheiro intenso de mar, de aeroporto colado no oceano.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

A África dos cineastas
















Cada um conta a história que quer... Cada um tem a fonte que pode... Pra entender melhor o continente primeiros contatos com filmes diversos.

África pelos olhos de cineastas: sempre sangue, música e crianças. (Alguma similiaridade com nosso Brasil?) Com exceção de dois que vi sobre o Senegal, de Ousmane Sembéne

Senegal - mocinha africana feliz se decepciona ao chegar na França. Falta de comunicação...(vide: La noire de...)

Senegal - em Dakar, muito vudu, fome e sonhando com Paris... (vide: Touki Bouki)

África do sul - movimento anti-apartheid (vide: Em nome da honra)

Uganda - Idi Amim - ditador mata 300.000 (vide: Último Rei da Escócia)

Ruanda - Guerra civil entre Hutus e Tutsis - pelo que entendi foi uma divisão étnica influenciada pelos belgas, linda trilha sonora de Doro Munyaneza (vide: Hotel Ruanda)

Nigéria - divertido curta sobre a influência dos cowboys americanos (vide: Les cowboys sont noires)

Matobo - país fictício, um fiasco, uma apologia à ONU... (vide: A intéprete)

sábado, 2 de janeiro de 2010

Saint Louis, Senegal / num piscar de olhos /


- Na lígua Wolof, língua falada na África ocidental: Senegal, Gâmbia, Mauritânia, Saint-Louis, chama-se "Ndar".

- Foi a primeira capital do Senegal desde 1673 até a sua independência da França 1960, quando a capital passou a ser Dakar.
Grosso modo, nossa Salvador, capital do Brasil colônia 1594, porém esta passou o trono pro Rio de Janeiro em 1763, antes da alforria do colonizador. Comparável também a Ouro Preto, que perdeu a glória quando a capital se tranferiu pra Belo Horizonte, motivo pelo qual manteve seu patrimônio histórico. ps, teve muita história por aí nessas colônias antes de europeu, mas fica pra outro papo...

- É uma ilha, parte do chamado Sahel, região geográfica que é a transição entre o deserto do Sahara e os baobás da savana. Onde há uma faixa de 600km de areia e onde se formam lagos durante as estações chuvosas.

- Atualmente é movida economicamente pelo turismo, é patrimonio mundial pela natureza, exemplo excepcional de arquitetura colonial, possui eventos culturais como o mais importante festival de jazz da África.